Bloguemos! http://www.bloguemos.com Pérolas de sabedoria e outras nem tanto. Sun, 23 Dec 2012 18:10:46 +0000 en-US hourly 1 http://wordpress.org/?v=3.6 © adilson@adilson.net () adilson@adilson.net() Peacute;rolas de sabedoria e outras nem tanto. adilson@adilson.net No no http://www.bloguemos.com/wp-content/plugins/podpress/images/powered_by_podpress.jpg Bloguemos! http://www.bloguemos.com 144 144 Minhas modificações no Turnigy TGY 9X – Parte 2: Alterando o módulo transmissor http://www.bloguemos.com/?p=435 http://www.bloguemos.com/?p=435#comments Sun, 23 Dec 2012 17:52:27 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=435 Por que alterar o módulo transmissor?

Um rádio controle tem como objetivo converter os comandos do operador em movimentos no modelo comandado. Para isso ele pode ser dividido em 3 partes básicas:

  1. Os controles propriamente ditos como alavancas e botões;
  2. Um circuito eletrônico que converte os comandos em uma sequência de sinais elétricos;
  3. Um transmissor que pega estes sinais e envia para o modelo.

Uma vantagem deste modelo de partes separadas e que podemos fazer coisas como alterar uma parte de modo que funcione com as outras. No meu caso eu fiz alterações nas 3 e as explicarei mas vamos começar de trás para frente e falar da modificação no transmissor.

Modificando o transmissor

O TGY 9X tem uma característica engraçada: apesar de ter um conector padrão JR o que permite, com o firmware certo, o uso de outros módulos transmissores diferentes, o que vem nele tem um fio passando pelo corpo do rádio que o liga à uma antena na parte superior.

A primeira alteração que fiz foi remover a antena original e instalar uma com conector SMA no corpo do módulo transmissor.

Infelizmente eu não documentei fotograficamente esta modificação mas os passos são os seguintes:

  1. Desconecte o módulo transmissor atrás do rádio
  2. Você vai ver um fio que sai deste módulo e entra pelo rádio
  3. Solte os parafusos que seguram a tampa
  4. O fio da antena é soldado na placa transmissora. Dessolde este fio. Muito cuidado pois é um coaxial bem fino.
  5. Prepare um cabo com conector SMA fêmea (eu usei este que comprei no Dealextreme e funcionou perfeitamente) cortando o excesso e estanhando o condutor central e a malha.
  6. Solde no lugar do cabo original.
  7. Faça um furo na traseira da caixinha para passar o conector SMA e instale o conector. Sugiro um pingo de cola para manter o conector no lugar.

O resultado final será este:

Módulo modificado

Neste caso claro que será necessária uma antena com conector SMA também. Uma outra possibilidade é aproveitar a antena original, fixando-a no lugar do conector SMA mas preferi esta solução para poder remove a antena e substituir por uma direcional ou booster se quiser.

A maior vantagem desta modificação é que, com o firmware correto, agora podemos mudar o módulo transmissor para outros no padrão JR como estes abaixo – respectivamente OpenLRS (433Mhz para longa distância), o original do 9X e um Orange DSM2 compatível com receptores Spektrum – e ampliar a linha de receptores e aplicações que podemos usar com o mesmo rádio.

modulos9x

Mas como podem este módulos diferentes funcionarem? Simples: padrões e modularidade. Todos eles usam um conector igual e o sinal que é enviado a eles segue o mesmo padrão (PPM). O processador do rádio não se importa como os sinais que ele envia serão enviados pelo ar, isso é por conta do par transmissor/receptor. Contando que o transmissor entenda PPM, você pode usar sinais de fumaça, que o rádio não se importa. Em tempo, a plaquinha à direita é um programador para o rádio Open LRS à esquerda.

No próximo artigo vamos ver a mais complexa mas mais importante modificação de todas: a troca do firmware.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=435 0
Minhas modificações no Turnigy TGY 9X – Parte 1: Introdução http://www.bloguemos.com/?p=416 http://www.bloguemos.com/?p=416#comments Sun, 23 Dec 2012 00:19:31 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=416 Por que o TGY 9X e o que podemos obter com estas alterações?

O Turnigy TGX 9X é uma pequena joia. Barato, 9 canais, 2.4GHz e com uma enorme vantagem: facilmente “hackeável”. Com vários firmwares de código aberto de hardware que já foi mais que esmiuçado, podemos fazer algumas coisas muito legais com ele. Como ele pode usar módulos de rádio no padrão JR (ele gera PPM internamente e só), não fica limitado a um protocolo.

A lista de modificações, ou mods como o pessoal costuma dizer, é enorme. Vou aqui documentar as modificações feitas no meu, incluindo as peças que usei e problemas que tive.

Para começar, antes de mais nada, vamos falar de alguns conceitos.

Rádio programável? Sim. Em mais de uma maneira.

Quando falamos de um rádio controle programável, geralmente queremos dizer que podemos programar vários modelos diferentes, seja de asa rotativa ou fixa, alterando parâmetros individuais de modo a adequá-lo àquele modelo em particular. Coisas básicas como número de canais, sua utilidade, curvas de resposta, limites e mixagens ou mais sofisticadas como fases de voo, condicionais, telemetria, etc

No caso do TGY 9X (que também é comercializado por outro fabricantes com outros nomes e carcaça ligeiramente diferente), podemos não só programar estes parâmetros mas também o próprio programa que comanda o rádio, chamado de firmware. Podemos usar desde um firmware de terceiros pronto até modifica-los e criar nossa própria versão pois mutos deles são de código aberto significando que temos acesso ao fonte, ao próprio código do programa.

Mas afinal, o que é firmware? Rádios programáveis, assim o são por serem pequenos computadores com processador, memória, etc. Firmware é o programa que roda nestes pequenos computadores. É chamado assim por se tratar de algo que é executado diretamente pelo processador, sem um sistema operacional entre o equipamento e a aplicação. Fazendo uma analogia tosca, seu PC tem um sistema operacional, digamos Windows e vários aplicativos, por exemplo, um browser como o Firefox. Grosso modo, o aplicativo conversa com o sistema operacional e este conversa com o computador. Um firmware é como se fosse aplicativo e sistema operacional ao mesmo tempo. Enquanto um PC sem aplicativos ao menos inicia o sistema operacional, sem o firmware o equipamento não faz nada. Na melhor das hipóteses ele entra em um tipo de modo de espera para que o firmware seja gravado.

No próximo artigo falaremos sobre a primeira modificação que servirá como base para quase todas as demais: alteração do módulo transmissor.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=416 0
UAV com placa Snowball. Alguém interessado? http://www.bloguemos.com/?p=407 http://www.bloguemos.com/?p=407#comments Tue, 04 Dec 2012 19:13:45 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=407 Eu sou fã de sistemas embarcados, foi uma área em que me considero um dos pioneiros no Brasil. Não atuo mais profissionalmente mas ainda gosto de acompanhar o que aparece.

Outra área pela qual me interesso bastante é o aeromodelismo especialmente sistemas mais sofisticados como UAVs.

A algumas semanas adquiri duas placas Snowball com características bastante respeitáveis e interessanetes:

  • ARM Dual Cortex A9 @ 1GHz
  • 4 / 8GByte e-MMC
  • 1GByte LP-DDR2
  • 1x Micro-SD
  • 1x RTC Battery Backup
  • 1x HDMI Full HD
  • 1x Ethernet 10/100Mbits
  • 1x CVBS Video OUT
  • 1x Audio OUT
  • 1x Audio IN
  • 1x USB OTG HS (480Mbits)
  • 1x DC IN +5V
  • 1x Li-Ion Battery Charge
  • 1x Serial Port (RS232 / Over USB)
  • 1x JTAG Connector
  • 1x MiPi34 Debug Connector
  • 1x IEEE 802.11 b/g/n WLAN
  • 1x Bluetooth 2.1+EDR (Ex. Antenna)
  • 1x GPS (Ex. Antenna)
  • 1x 3 Axis Accelerometer
  • 1x 3 Axis Magnetometer
  • 1x 3 Axis Gyrometer
  • 1x Pressure sensor
  • 3x Expansion Connectors (FSMC, HSI, Audio, MiPi CSI / Camera, LCD, MiPi DSI, UART, SPI, I2C, GPIO).

Como podem notar, esta placa tem sensores que a tornam uma plataforma completa para um UAV e é exatamente isso que estou propondo: criar um UAV usando a Snowball, procuro mais pessoas interessadas no projeto e estou disposto a dar uma das placas para quem me apresentar as melhores ideias.

 

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=407 19
Venda minha casa e ganhe dinheiro! http://www.bloguemos.com/?p=397 http://www.bloguemos.com/?p=397#comments Thu, 29 Nov 2012 17:50:25 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=397 Depois de muito quebrar a cabeça com imobiliárias incompetentes, resolvi me voltar para o poder das internets para vender minha casa e você, sim, você, pode ganhar um bom dinheiro com isso!

Indique um comprador para minha casa e eu pagarei a você uma comissão. Simples assim. Não precisa se preocupar com nada, do resto cuidarei eu.

Tenho fotos da casa, com respectivos dados e valores neste link ou neste outro se o primeiro não funcionar.

Aceito permuta por casa (nada de apartamento), preferencialmente em Jundiaí mas estudo propostas no interior de São Paulo entre Campinas e Santos, excluindo Grande São Paulo e Campinas propriamente dita.

As regras são bem simples:

  1. Pagarei comissão de 3% da parte da venda que for efetivada em dinheiro, isso exclui valores transacionados em permuta. Por exemplo, se entrar um imóvel em permuta de R$ 300.000,00, em uma venda de preço cheio, pagarei R$ 11.550,00 de comissão. Se, por outro lado, a venda for no valor total em dinheiro, pagarei R$ 20.550,00. Cash.
  2. Não aceito propostas de imobiliárias querendo colocar em catálogo para venda. Estou de saco cheio cansado de preencher formulários de autorização, enviar fotos, cópias de documentos, etc e nunca mais ouvir falar da empresa. Se você for corretor e quiser fazer uma oferta, ótimo, mas as regras são as mesmas.
  3. Não aceitarei visitas sem prévio agendamento.
  4. Contatos iniciais apenas através dos comentários.
  5. Quaisquer outras propostas que fujam que não se enquadrem nestas regras serão sumariamente apagadas.

 

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=397 0
Compra e venda de imóveis, o engodo da exclusividade http://www.bloguemos.com/?p=386 http://www.bloguemos.com/?p=386#comments Sun, 15 Jul 2012 19:51:19 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=386 Tenho uma casa à venda a um bom tempo. Modéstia à parte, excelente imóvel, novo, preço de mercado, sou flexível em relação ao pagamento, então por quê, em 5 meses, recebi no máximo umas 10 visitas que geraram apenas uma oferta e de uma pessoa que não tinha a a menor condição de compra-lo? Porquê eu caí no conto da “exclusividade”.

Quando resolvi vender minha casa, achei por bem deixar uma imobiliária fazê-lo. Acho justo que eles tragam apenas clientes que já foram “filtrados”, cuidem de toda a papelada e burocracia, façam propaganda e recebam por isso. Acontece que as imobiliárias querem exclusividade na venda. Como isso funciona:

Na teoria:

  • Com exclusividade lhes é permitido anunciar em jornal e em outras mídias.
  • Imóveis exclusivos tem a preferência dos corretores na divulgação.
  • Outras imobiliárias podem trazer os clientes e fazer a venda em parceria.

Depois deste tempo todo, descobri que, na verdade:

  • As imobiliárias não fazem nenhum tipo de pesquisa prévia das pessoas que estão trazendo para dentro de sua casa, só depois que eles fazem uma proposta que lhes é levantado crédito.
  • Outras imobiliárias não vão trazer os clientes dela pois neste caso teriam que dividir a comissão.
  • Os corretores não vão dar preferência para sua casa, eles querem é vender. Exclusiva ou não, a comissão é a mesma e se eles acharem que tem mais chance de vender um outro imóvel se não mostrarem o seu, vão fazê-lo especialmente se o outro tiver que ser no esquema de parceria.
  • Se alguém lhe procurar diretamente, pode até ser um parente seu, para comprar o imóvel, durante o período de exclusividade você é obrigado a remete-lo à imobiliária e, mesmo depois do contrato de exclusividade vencido, a imobiliária tem o direito de lhe cobrar comissão a não ser que você prove, antes do contrato firmado, que já havia um interesse desta pessoa na compra do imóvel. Eu até entendo que isso serve para proteger o vendedor no caso de um cliente da imobiliária resolver fazer um negócio por fora com o dono do imóvel mas não deixa de ser uma pedra no sapato.
  • A imobiliária vai anunciar tendo exclusividade ou não. Eles querem é vender. Teoricamente o CRECI não permite mas na prática, ninguém liga. Estes dias mesmo em São Paulo vi uma casa que tinha placas de umas 10 imobiliárias diferentes.
  • Se você não avisa com antecedência que não quer mais exclusividade, o contrato renova-se automaticamente.

Enfim, frustrado com a falta de resultado, não permiti a renovação do contrato e, simplesmente, coloquei uma plaquinha de vende-se na frente de casa. Em uma semana já apareceram 4 corretores diferentes com 6 interessados.

Em resumo, toda imobiliária vai falar que precisa ter exclusividade. Não aceite. Eles podem até citar a resolução COFECI 492/96 ou 458/95 que diz que todo contrato de permissão de compra e venda tem que ter exclusividade. Balela. O COFECI não pode se sobrepor à livre escolha de prestadores de serviço e concorrência. Isso já foi considerado ilegal até em nível constitucional.

Meu conselho: ponha sim as imobiliárias para trabalhar mas sem exclusividade e se começarem com ladainha, diga que então vai procurar outra imobiliária, ofereça à várias. Se seu imóvel for bom eles aceitam pois sabem que é bom negócio. Eu recomendo apenas muito cuidado em tratar diretamente com particular. Neste caso, contrate um despachante e/ou um advogado para fazer o levantamento da documentação do comprador e o contrato. Ainda sai mais barato que uma imobiliária mas vai te dar mais trabalho.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=386 28
Canonical Procura Parceiros http://www.bloguemos.com/?p=373 http://www.bloguemos.com/?p=373#comments Mon, 19 Mar 2012 11:36:11 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=373 A Canonical está ampliando sua presença na América Latina e especialmente no Brasil. Se sua empresa tem interesse em tornar-se um parceiro, confira o programa e faça seu pedido de parceria.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=373 5
Mais máquinas Dell com Ubuntu http://www.bloguemos.com/?p=369 http://www.bloguemos.com/?p=369#comments Mon, 09 Jan 2012 14:48:51 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=369 Ainda é pouco mas temos mais máquinas com Ubuntu pré-instalado no site da Dell. Claro que todos gostaríamos que qualquer máquina pudesse ser configurada e adquirida com Ubuntu, outro GNU/Linux ou mesmo sem sistema operacional mas é um progresso.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=369 1
GVT metendo os pés pelas mãos http://www.bloguemos.com/?p=362 http://www.bloguemos.com/?p=362#comments Tue, 20 Dec 2011 18:37:00 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=362 Eu sou cliente satisfeito da telefonia e banda-larga da GVT e a anos a recomendo a todos que me perguntam sobre estes serviços. No início de 2011 fiquei muito feliz ao saber que a GVT iria lançar o serviço de TV por assinatura pois achava que, seguindo a tendência de inovar da empresa, o mercado iria dar uma boa chacoalhada com um serviço para, como se diz, lavar o chão com a concorrência. Infelizmente eu estava errado.

Faz algum tempo que tenho acompanhado esta thread no HT Forum e estava sabendo de todas as agruras que tem passado o pessoal que instalou o produto no começo: decoder travando, menus lentos, constantes quedas e outros menores mas mesmo assim tinha esperança pois ainda confiava na empresa e vi que aos poucos estes problemas estavam sendo mitigados. Dei um salto de fé e, no dia 14/11 fiz a assinatura. Como já tinha a Sky HD paga até dia 25/12 não tive pressa em pedir a instalação e marquei-a para 19/12, ontem. Na quarta passada, dia 14, chegaram a me ligar duas vezes perguntando se eu não estaria interessado em adiantar a instalação já que, agora que eles tinham mais prática com o produto novo, o processo estava muito mais tranquilo e rápido. Infelizmente eu não poderia atende-los naquele dia então deixamos como originalmente agendado mesmo.

Por volta das 11 da manhã, liguei para a GVT para confirmar a vinda e me disseramq ue estava tudo certo para ontem à tarde, eu achei que seria pela manhã mas tudo bem. Às 17:00 comecei a ficar desconfiado, liguei novamente para a GVT que me disse que era assim mesmo, que eles poderiam aparecer até às 18:30. Claro que ninguém veio. Já frustrado, liguei para a GVT pela terceira vez e me foi dito que havia ocorrido um “imprevisto” e que eu não poderia ser atendido naquele dia e que alguém iria entrar em contato para remarcar a instalação. Aí eu perdi a paciência pois fiquei o dia inteiro em casa à disposição e não tiveram a pachorra de me ligar avisando do problema? Eu teria ficado aborrecido mas teria entendido. Mandei cancelar. Me passaram para uma moça que, bastante educada, pediu mil desculpas e me ofereceu um “mimo” (minutos extras no meu plano de telefonia) se eu resolvesse mudar de ideia. Aceitei mas com a condição que viessem até esta quarta, dia 21, pois eu receberei visitas para as festas de fim de ano e não teria como atender a equipe de instalação depois disso. A moça me disse que seria possível sim mas que não haveria como garantir. Neste ponto eu desisti e mandei cancelar de vez. Aproveitei e deixei registrado junto à ouvidoria da GVT todo este frustrante processo. Liguei para a Sky e “descancelei” minha assinatura e de quebra ganhei um bom desconto.

O fino da ironia foi que, a coisa de 20 minutos, recebi uma ligação da GVT perguntando se eu não poderia receber os técnicos agora para a instalação da TV! Eu disse que havia cancelado ontem e a moça do outro lado da linha me respondeu “Aqui não aparece como cancelado”. Mais um ponto para a incompetência!

Para finalizar, deixo aqui registrado meu apelo: GVT, por favor, não acabe com a boa reputação que você construiu estes anos com telefonia e banda-larga. Seus clientes estavam esperando que você fosse balançar o mercado de TV por assinatura oferecendo um serviço com a qualidade que estamos acostumados. O preço foi decepcionante mas mesmo assim apostamos pois achávamos que você iria esbanjar qualidade e o que temos visto são equipamentos problemáticos, serviço lento, equipes de instalação despreparadas e de agendamento perdidas. Vocês ainda tem o potencial de reverter este quadro. Se for necessário, parem e reavaliem os processos. Se nada disso der certo, ao menos peço que deixem a telefonia e banda-larga como estão pois meu medo agora é que estes, até então excelentes serviços, sejam “contaminados” pela TV.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=362 12
Mamebox: O Hiato e A Oferta http://www.bloguemos.com/?p=357 http://www.bloguemos.com/?p=357#comments Mon, 19 Dec 2011 19:01:58 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=357 Este título está parecendo conto do Fernando Pessoa mas serve.

Bem, aos que acompanham o projeto, minhas desculpas pela longa pausa. Infelizmente fiquei comprometido com outros assuntos e isso, somado à certas frustrações que tive com este projeto o deixaram no gelo por 4 meses.

Que frustrações? Eu descobri que habilidade de marcenaria não é hereditária. Apesar de meu pai ter sido muito habilidoso trabalhando com madeira eu não sou. Isso, somado à falta de ferramentas adequadas (ou melhor, falta de capacidade de usar as que tenho de maneira adequada) me fizeram postergar este projeto.

Como eu não gostaria de que isso morresse assim, gostaria de fazer uma oferta: se você que estiver lendo este post for bom em trabalhar com madeira e quiser me ajudar a terminar este gabinete, eu ofereço em troca todo o hardware e software para montar o seu Mamebox. E digo tudo mesmo, da CPU aos controles de arcade. Se a ideia lhe interessa e você for da região de Joinville, deixe seu comentário ou entre em contato por email.

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=357 8
Mamebox: O Software – Parte 3.0 http://www.bloguemos.com/?p=339 http://www.bloguemos.com/?p=339#comments Fri, 19 Aug 2011 22:06:16 +0000 adilson http://www.bloguemos.com/?p=339 Olá pessoal

Hoje vou falar um pouco sobre o software do Mamebox, o coração do projeto, afinal, todo o resto é apenas um suporte, uma maneira de melhor aproveitarmos os jogos que queremos tanto jogar.

Podemos dividir o software que vai rodar no Mamebox em 3 partes: emuladores, sistema operacional e front-end. Vamos começar de trás para frente e falar hoje do front-end.

Front-end

Executar o emulador envolve basicamente chamar o programa necessário digamos, mame,  passando os parâmetros necessários que podem ser muitos já que o emulador, especialmente um tão complexo e abrangente quanto o mame, precisa saber uma série de coisas como interfaces, local da ROM, opções de vídeo e som, etc.  São mais de 160 opções! Claro que normalmente usamos umas poucas mas mesmo assim é algo complexo. O front-end é a interface que mostra a sua lista de jogos e executa o emulador de uma maneira pré-determinada, passando os parâmetros necessários de acordo com as suas opções escolhidas e de acordo com dados extraídos do próprio jogo ou de bancos de dados auxiliares.

Existem vários aplicativos como estes, o próprio mame faz isso mas para o Mamebox eu gostaria de algo que cumprisse quatro requisitos básicos:

  1. Tivesse um bom apelo visual
  2. Suportasse múltiplos emuladores
  3. Fosse configurável
  4. Fosse “arcade friendly”, ou seja, tivesse uma interface que fosse fácil de ser manipulada usando apenas joysticks e botões.

Principalmente no primeiro quesito, os usuários windows estão bem servidos com programas como o HyperSpin ou Maximus Arcade. Infelizmente não encontrei para Linux algo equivalente, sendo o mais próximo o Wah!Cade. Eu cheguei a oferecer-me para averiguar a possibilidade de um porte do HyperSpin para Linux mas isso não vai acontecer por dois motivos: o programa é fechado e o autor não tem a intenção de abrir e, fiquei sabendo depois, este foi escrito usando uma ferramenta de autoria para windows e não existe runtime para Linux.

Ao me deparar com esta dificuldade resolvi fazer o que todo bom nerd faz e resolvi escrever a minha interface. Comecei a pesquisar o assunto, tirei o pó dos meus conhecimentos de programação e fechei em usar C com SDL e OpenGL. Cheguei a fazer alguns testes direferntes e me enredar no estranho mundo da programação 3D quando me deparei com meu salvador: Cabrio que, coincidentemente, foi escrito em C com SDL e OpenGL :)

Neste vídeo temos uma amostra de como o Cabrio funciona.

Embora o desenvolvedor tenha usado soluções diferentes das que eu teria usado, o conceito geral é basicamente o mesmo e é software livre.

Todo a configuração dele é feita via arquivos XML e ainda não tem um configurador o que é um problema pois temos que gerar os arquivos para ele. No caso da listagem de jogos, um programa chamado ROMLister faz o trabalho pesado e, embora para windows, roda bem com Wine.

Para torná-lo uma solução ideal, eu vejo as seguintes melhorias:

  • Programa configurador: este geraria os arquivos de configuração à partir de um menu, de preferência rastreando um banco de ROMs para montar uma listagem válida, da forma que o ROMLister faz.
  • Modo Jukebox para ir tocando músicas enquanto não se está jogando.
  • Melhoria no visual: embora tenha potencial, o visual pode passar por uma refinamento mas isso deixarei a cargo de alguém com mais capacidade artística que eu.

Eu ainda estou começando a me entender com o programa e já achei um bug :) mas este é o front-end mais promissor que encontrei até este momento e definitivamente irei adota-lo no Mamebox.

 

]]>
http://www.bloguemos.com/?feed=rss2&p=339 12