MameBOX: conceitos e rascunhos

July 10, 2011

A ideia

Eu sempre gostei de videogames e gastei muitas horas e fichas em fliperamas a 25, 30 anos. Embora goste de alguns jogos modernos (Portal 2 é meu favorito neste momento), sempre pinta aquela saudade e vontade de rever antigos sucessos, tanto pessoais quanto de público como PacMan, Galaga, Street Fighter, Mortal Kombat, Centipede e QBert. Para isso existem os emuladores mas jogar algo como Street Fighter no teclado do computador não é a mesma coisa. Claro que eu poderia comprar um controle de arcade e ligar no PC mas o saudosismo nesta hora fala mais alto e nada supera um verdadeiro gabinete de arcade, em pé, com os controles na sua frente e o CRT brilhando na sua cara. Pensando nisso resolvi que teria um gabinete completo, daqueles que haviam em fliperamas espalhados por aí e que ainda hoje se encontram em bares e shopping centers. Já conhecia a parte do software, isso para mim é naturalmente a parte mais simples mas precisei estudar muito e aprender sobre os controles, tipos e confecção de gabinetes, tipos de interface e como juntar tudo isso em um arcade.

Vendo a coisa toda junta, existe quaro possibilidades:

  1. Comprar um pronto. Eu vi anúncios de gabinetes novos, montados e completos, com Mame e outros emuladores instalados (chamados de “multijogos”) pela bagatela de R$ 3500,00 a R$ 5000,00.
  2. Comprar um gabinete usado de fliperama e trocar os componentes internos. Se você der sorte de achar um em bom estado (já vi anúncios de R$ 350,00 a mais de R$ 1500,00) pode ser uma ótima já que você terá um gabinete autêntico mas existem vários fatores a considerar:
    • A estrutura do gabinete está em bom estado? Lembre-se que são equipamentos antigos, em madeira (mais provavelmente compensado) que sofreram abusos por anos então é certo que terão ao menos arranhões e marcas que precisarão ser arrumados. Muito cuidado também com cupins.
    • Lembre-se que o painel com os controles é a essência do gabinete então é o ponto quer mais merece atenção. Os controles estão todos funcionando bem? Dá para adaptar ao PC (usando um adaptador Jamma por exemplo)? Caso contrário, o painel permitiria a substituição por controles novos? A disposição dos controles é boa para você? Permite dois ou mais jogadores?
    • O monitor está em bom estado, sem manchas (praticamente impossível)? A estrutura suportaria outro no lugar? Lembre-se que este monitores não suportam placas de vídeo modernas sem um bom trabalho de configuração (são geralmente limitados em 15KHz) e normalmente precisam de uma interface específica que custo por volta de US$ 150,00.
  3. Mandar fazer o seu gabinete. Boa sorte. Eu não achei um só marceneiro que se dignasse a ao menos fazer um orçamento. Pode ser um problema local já que Joinville, onde eu moro, tem um caso crônico de maus profissionais na área de serviços. Ótima opção se você tiver um bom projeto em mãos já que o acabamento será (ou ao menos teoricamente) ótimo.
  4. Fazer o seu do zero. Foi a opção que escolhi apesar da minha quase zero experiência com construção em madeira. Realmente não é tão complicado pois o desenho não precisa ser muito preciso mas aprendi, a duras penas, que certas ferramentas como um serra circular e uma tico-tico (mais sobre isso em posts futuros), são indispensáveis.

O Projeto

Podemos dividir o projeto todo em 3 partes: gabinete, eletrônica e software. Neste primeiro post vou falar sobre os três por alto e depois detalhar cada um deles.

Gabinete

Se o jogo é a alma, o gabinete é a cara do projeto e poderá variar do incrível ao desastre dependendo do que você fizer. Existe uma quantidade enorme de projetos online, eu não vou me dar nem ao trabalho de apontar alguns. Existe também uma variedade de tipos de gabinete mas vou me focar no tipo que escolhi, o vertical também chamado de tipo cabaré que é o mais comum em fliperamas da época.

A grande vantagem deste modelo é que as linhas básicas são parecidas mas ele admite um grande flexibilidade para personalização, uma variedade praticamente ilimitada de combinações de tipos de controles, é bem tolerante a erros e bem simples de construir por ser basicamente uma caixa em pé. Abaixo o desenho que estou usando visto de lado. Depois irei postar os arquivos qcad.

Como podem ver, simples mas ainda lembrando um gabinete clássico. A ideia foi simplificar de modo a poder ser feito em casa mas se você tiver acesso a um CNC, claro, o céu é o limite só tome cuidado para não exagerar ou o resultado ficará ridículo.

Sistema Eletrônico

Por sistema eletrônico entendemos o computador em si, monitor e comandos. O PC é uma placa atom mini ITX e para ligar tudo, uma interface ipac-2. Para emular jogos antigos, praticamente qualquer CPU que você tiver encostada serve mas se você quiser rodar emuladores de PS2 ou mesmo alguns jogos mais antigos mas vetoriais, será interessante uma CPU mais potente. Como meu foco é os jogos que o Mame roda, não me preocupei com poder de processamento mas com pouco calor gerado e baixo ruído. O ponto a tomar mais cuidado nesta etapa são os controles. Neste projeto estou usando dois conjuntos de joysticks com 8 botões e um trackball e em posts posteriores entrarei em detalhes de como e quais comprar, como ligar e configurar.

Software

Você já conhece a ladainha, se não tem a ROM ou o jogo original, você não tem o direito a usar o mesmo no emulador mas isso tudo você já sabe e não vou hipócrita para dizer o que você deve ou não fazer, só não me peça para dizer onde conseguir ROMs, BIOS, etc. Meu próprio software (mais sobre isso depois) eu disponibilizarei sob licença GLP e os emuladores estão nos repositórios. O resto é por sua conta e risco ;)

Como base usaremos uma versão bem enxuta do Ubuntu que irá automaticamente rodar o lançador (na versão inicial será o WahCade!) e este irá lançar o emulador e jogo selecionado. Estou trabalhando no meu próprio lançador que irei disponibilizar assim que tiver ao menos uma prova de conceito funcionando mas por enquanto, usaremos o WahCade!.

Pois bem, esta foi a visão geral por hoje. Estou trocando o preciosismo da escrita por uma comunicação mais dinâmica então perdoem a falta de estilo :)

Durante a semana trarei novidades sobre o gabinete e detalhes de construção. Até lá!

2 Responses to “MameBOX: conceitos e rascunhos”

  1. Muito bacana a iniciativa, ainda hoje pela manhã estava pensando em comprar um joystick de arcade:
    http://www.dealextreme.com/p/usb-fighter-joystick-controller-for-pc-1-8m-cable-66330

    Também sou de Joinville, se for possível gostaria de dar uma conferida no projeto depois de pronto…
    Valeu ae, abraço e boa sorte !

  2. [...] post anterior eu já havia dito que procurei fazer um projeto simplificado, com bastante tolerância à falhas [...]

Leave a Reply